Recomendações aos TOPS – Parte I

por | abr 7, 2018

Meu querido Protetor @Sr. Coltrane escreveu algumas recomendações para submissas e achei bastante interessante. Ouvir o outro lado e o que ele espera é benéfico para qualquer relação.

O que me fez pensar o que nós bottons também esperamos de um TOP. Como não posso recomendar nada a quem quer que seja, farei meus apontamentos em forma de pedido. É algo colaborativo, então quem sentir vontade de postar mas alguma coisa, sinta – se a vontade.

Então, Caros TOPs, por favor:

Sejam Claros (as)

Nós precisamos saber o que vocês querem, o que esperam, o que buscam. Não é possível realizar as vontades de outra pessoa sem saber especificamente o que ela deseja. Por mais que antecipar- se a vontade do TOP seja algo esperado de um bottom, não esperem que sejamos capazes de fazer isso nos primeiros anos da relação. Isso leva tempo e demanda uma proximidade que nem sempre a distância permite. A clareza de vocês é o que torna a satisfação de ambos possível.

Sejam honestos (as)

Isso está intrinsecamente ligado ao primeiro ponto. Mas não se resume apenas ao que se espera, mas também ao que se pode oferecer. Nós bottons, precisamos saber o que vocês buscam, mas também o que podem oferecer. E nesse ponto é necessário uma sinceridade imensa. Não se trata apenas de práticas ou fetiches. É justo que ao entrar em uma relação que envolva intensidade, sejamos avisados do espaço que teremos na vida do TOP, da importância, do que ele espera da relação a longo prazo. Se é que ele quer algo a longo prazo. Por mais baunilha que isso pareça, é importante para que o laço de confiança se torne possível. Não imagino que alguém se entregue de forma íntima e intensa a alguém e depois se sinta bem ao acordar e ver que o TOP sumiu, ou que “cansou da brincadeira”. Ou que o sádico não gosta mais de provocar dor, e ou Dominador de dar ordens. Nada soa tão desonesto quanto isso.

Sejam sensíveis

Não estou falando de serem mimizentos. Não é isso. Falo da sensibilidade em perceber quando algo não vai bem, ou quando é necessário mudar o foco ou modo de conduzir as coisas. Pra nós que estamos “embaixo” nem sempre é fácil expressar que as coisas não vão bem no formato da relação ou nas práticas ou em qualquer outra coisa que possa dar a entender que estamos querendo “tomar o poder”. A sensibilidade de vocês é determinante para que não precisemos dizer diretamente “Olha, você não está agindo como um(a) Dominador (a)”. Chegar nesse ponto pode ser devastador para a relação.

Sejam Inteligentes

Nós realmente precisamos que a inteligência de vocês seja usada em favor da relação. Pra quem deseja se sentir Dominado ou colocado em posição subserviente, é fundamental ver quem está no TOPO como alguém capaz de lidar com as dificuldades que irão surgir. Que é capaz de tomar a própria vida nas mãos e por isso pode tomar a nossa também. É importante saber que não seremos capazes de manipulá- los ou que não sucumbirão diante das provocações e dificuldades do dia – a – dia, que esmorecem a qualquer um. A inteligência fará com que mesmo que estejam em situação de fragilidade não o vejamos como fracos. (Acho difícil pensar em um bottom que continue se submetendo a um TOP a quem julga fraco.)

Sejam Determinados (as)

Pode – se dizer que a submissão é um prato que se come frio. Por mais que eu não seja um exemplo de submissão, percebo que mesmo para as que a vivem de forma intensa. ( Isis e myrah, podem dizer melhor) é necessário um esforço contínuo do TOP para que ela se torne eficaz e não retroceda. Talvez seja importante que se o TOP não quer ter tanto esforço com um bottom de personalidade forte ou “rebelde” como queiram chamar, que ele busque um bottom com tendências mais submissas. Importa é que ele não comece algo que não será capaz de terminar ou que se perca no caminho da própria dominação. Nós esperamos que nossos limites sejam quebrados, mas não somos brinquedos, é necessário um caminho até lá, e é desanimador perceber que o TOP não irá percorrê-lo por mera preguiça. (Afinal, quebrar limites é o pressuposto de nossas relações aqui).

Por fim.

 

Sejam firmes

Não tem nada mais “broxante” como perceber que o TOP não tem compromisso com as próprias ordens, que volta atrás o tempo todo, que não sabe o que quer ou que muda de ideia toda hora, dando ordens controversas e ainda se esquecendo das mesmas. É obvio que o TOP não tem obrigação de viver em favor do bottom, mas nós entramos em uma relação sob os moldes do BDSM para sermos Dominados, e se não há tempo, disposição, criatividade ou a firmeza necessária para que isso seja feito, talvez seja melhor reconsiderar a própria relação ou mesmo posição. (Ponto 2) Por mais que alguns de nós (me incluo) testamos os limites do TOP e sua dominação não queremos “ganhar”. Nem vê-los esmorecer diante de qualquer birra ou choramingo. Esse ponto é muito importante e creio que é responsável pelo fim de várias relações, por mais que não se assuma isso publicamente.

***

Estamos em uma sociedade que luta para nos tornar iguais em todos os sentidos, o que vivemos aqui no BDSM é uma luta contra a própria concepção de igualdade. Sem o esforço contínuo e alguma disciplina de ambas as partes, iremos nos frustrar constantemente em nossas relações. Afinal é aqui que buscamos a libertação do que nos é imposto lá fora. Um jogo que envolve poder não afeta apenas a excitação sexual, está muito além disso. Por isso que alguns cuidados nunca serão demais.

E vocês, algum pedido?

Sisceris

Masochist's Motto
I'll do my best
to take your worst.